Publicada 10/08/2020 às 07h | atualizada 10/08/2020 às 07h

Pabllo Vittar: "Ser artista na foto é incrível, mas estar no palco é o que me dá vida"

Para a sua terceira capa digital de Quem, Pabllo Vittar improvisou um ensaio dentro de casa em Uberlândia, interior de Minas Gerais. Posando para as lentes de Ernna Cost, os cômodos de casa e até o céu azul da cidade foram cenários para os cliques, que ganharam cores e luzes trazendo a melhor identidade visual pop da cantora.

A drag queen de 25 anos de idade está passando o período de distanciamento social, devido à pandemia de coronavírus, com a família, mas continuou trabalhando pesado para os próximos passos da carreira. Na quarta-feira (22), ela lançou o clipe de Rajadão. A faixa faz parte do disco 111, de março. “Esse 2020, gata... Mudou tudo. Estamos com a cabeça tranquila, trabalhando bastante. O clipe nasceu na quarentena e ficou incrível. É muito louco ter que trabalhar dessa forma, mas estamos tirando a melhor coisa de tudo isso”, explica.

Antes da quarentena, a cantora, que nasceu em São Luís, no Maranhão, estava confirmada no Coachella, que aconteceria em abril nos Estados Unidos, mas ela não se frustrou com a interrupção da agenda de shows em pleno auge: a saúde de seu público – e não só ele – é prioridade. “Fiquei triste por conta do que estava acontecendo no mundo todo. Os shows, a gente faz todo ano, mas eu quero que as pessoas estejam saudáveis para ir nesses festivais. Quem trabalha com a arte assim, que sente a energia das pessoas, é muito difícil ficar longe dos palcos”, diz Pabllo durante a entrevista por telefone.

Questionada se faria shows drive-in, uma alternativa que o mercado do entretenimento encontrou para amenizar os efeitos da pandemia, ela nega. “Eu não faria, enquanto não tiver uma vacina e as pessoas ainda estiverem morrendo, eu, Pabllo Vittar, não vou para o palco. É um sentimento muito triste ver que o governo não está fazendo nada, que as pessoas estão morrendo. Subir no palco para cantar com tudo isso na cabeça é muito louco. Para mim, não vai rolar. Vou esperar até tudo voltar ao normal e a gente possa se abraçar, rebolar nossa bunda do jeito que a gente sabe e voltar com a força que a gente merece.”

VOLTAR