Polícia investiga professora acusada de agredir e xingar aluna autista

02 de Abril 2024 - 11h43

A Polícia Civil investiga uma suposta agressão física e verbal de uma professora contra uma aluna, de 7 anos, diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista (TEA), em uma escola municipal de Cosmorama, no interior de São Paulo. A mãe da menina registrou, no dia 19 de março, um boletim de ocorrência contra a docente, que nega as acusações.

De acordo com a denúncia, a professora teria dado um tapa no rosto da menina e chamado-a de “burra”, dentro de uma sala de aula da Escola Professora Ana Maria Segura. A mãe disse à polícia que a criança até foi trocada de turno e voltou a ter acompanhamento da técnica de educação na aulas.

A professora foi ouvida na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Votuporanga. Ela negou as acusações e disse não acreditar que a família havia feito essa denúncia.

“Ela afirmou que tinha um vínculo de relacionamento bom com a criança e que sempre foi elogiada pelo tratamento que dava a ela”, informou a delegada Edna Freitas ao Metrópoles, nesta terça-feira (2).

Segundo a delegada, a professora não foi indiciada. A polícia não considerou necessário examinar a menina para identificar a suposta agressão. “A investigação segue em andamento”, afirmou Edna.

O Metrópoles entrou em contato com a Prefeitura de Cosmorama para saber quais medidas foram tomadas pela Secretaria Municipal de Educação, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto para manifestações. A informação é do Metrópoles.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado